• publicidade

Saae e Fazenda Pimenta fazem plantio de 5 mil mudas para recuperação de nascente

Por Funcionarios AWR
In Giro da Semana
agosto 10, 2018
0 Comentários
17 Views

Ação visa proteger e recuperar a mata ciliar em seu entorno

Foto Marco Matos – DCS Saae

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) em parceria com a Fazenda Pimenta iniciou, na última segunda-feira (30), o plantio de 5 mil mudas de árvores nativas no entorno de uma nascente localizada na fazenda, como uma das ações do Programa de Conservação e Recuperação de Nascentes no município, que já recuperou 15 nascentes até o momento.
As ações são coordenadas pelos Engenheiros Ambientais do Saae, que forneceu o material necessário e a fazenda disponibilizou a mão de obra e se comprometeu a fazer a manutenção da Área de Proteção Permanente (APP). O trabalho consiste em várias etapas para que a mata ciliar seja recuperada, como a adequação da área a ser protegida, curvas de nível para conter a erosão, isolamento com 2 quilômetros de cerca de arame farpado, desassoreamento e por fim o plantio.
O Programa além da conservação das nascentes, visa conscientizar os agricultores, moradores e munícipes da importância desse recurso para a melhoria da qualidade e do aumento na disponibilidade hídrica, reduzindo o risco de escassez e a melhora na qualidade ambiental das áreas rurais e do município.
O mapeamento das nascentes, feito pelo Saae em 2015, possibilita hoje o desenvolvimento deste programa de conservação e recuperação destas nascentes, com o intuito de aperfeiçoar e preservar a capacidade do sistema hídrico do município.

MAPEAMENTO
Em maio de 2015 o Saae contratou uma empresa especializada, a Planegeo Consultoria, Diagnóstico Ambiental e Serviços Geológicos para realizar estudo e levantamento para a identificação e caracterização de afloramentos do lençol freático, nascentes, olhos d’água intermitentes e canal de drenagem das bacias hidrográficas que integram a rede hidrológica de Indaiatuba.

NASCENTE
Nascente é uma área onde há a aparição natural de água subterrânea de forma a possibilitar a formação e a sustentabilidade de um copo d´água. É comum se caracterizar o acúmulo de água em determinadas áreas como nascente ou olho d’água: no entanto, se a água disponível procedente do subsolo não for suficiente para a manutenção do ecossistema ao qual se associa, esta área não se caracteriza como nascente.
É o começo do curso de água e o fim do curso é chamado de foz, sendo que um curso de água corre de montante para jusante. As fontes são resultantes da água da chuva que infiltrou no solo e se acumulou no lençol freático (bacias de água embaixo do solo).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *